Newsletter

© 2023 por Cidade dos Cuidados. 

  • Siga-nos no Facebook
  • Ana Margarida Matos

Burnout – tudo o que precisa de saber

Atualizado: 9 de Jun de 2019

A escassez de recursos e a pressão para obter resultados estão a levar cada vez mais trabalhadores ao esgotamento físico e emocional. Identificar os sintomas a tempo é a melhor forma de prevenir um burnout, que se revela muitas vezes como uma resposta humana desajustada, associada a uma situação de stress emocional crónico que leva o indivíduo a um estado de esgotamento físico e/ou psicológico, sentimentos de incompetência e insatisfação e atitudes frias e de distanciamento. Infelizmente, muitos cuidadores passam por uma experiência de burnout.




Este desgaste que pode levar uma pessoa ao limite pode ter várias origens: fatores pessoais ou de personalidade, sociodemográficos, profissionais ou organizacionais.


Principais sintomas de burnout:


· Ideias demasiado megalómanas, difíceis de alcançar;

· Cinismo;

· Sentimentos de traição por parte da organização, do governo ou das grandes estruturas;

· Sentimento de desânimo/perda de espirito ou desesperança;

· Negligência das necessidades físicas e/ou psicológicas, como não dormir, comer ou isolar-se socialmente;

· Desconfiança para com todas as outras pessoas;

· Comportamento anti-social;

· Cansaço excessivo e/ou falta de energia;

· Incapacidade de concentração;

· Ineficiência em relação a tarefas que executava anteriormente;

· Sintomas frequentes de doenças físicas, como não conseguir curar uma gripe, ter gastrites ou enxaquecas recorrentes;

· Dificuldade em dormir;

· Aumento excessivo de consumos como álcool ou tabaco.


Estratégias para evitar o burnout:


Seja a nível pessoal, interpessoal ou no contexto profissional, há algumas estratégias que podem ajudar a aumentar o sentimento de positividade, de pertença, de valorização, evitando-se assim estados depressivos que possam despoletar um burnout, como:

· Praticar técnicas de relaxamento;

· Períodos de descanso e sono adequados;

· Resolução efetiva de lutos e perdas;

· Pedir apoio psicológico quando necessário;

· Promover e vigiar a saúde física/mental;

· Melhorar estratégias de lidar com as situações;

· Recreação fora do contexto profissional;

· Saber gerir conflitos e perdoar;

· Expressar sentimentos;

· Estabelecer expectativas realistas;

· Aceitar as limitações de cada um;

· Boas condições de trabalho;

· Recursos humanos adequados;

· Horários de trabalho adequados;

· Períodos de descanso e de pausa;

· Ser envolvido nas tomadas de decisão a nível profissional;

· Sistemas de avaliação justos.

Este desgaste que pode levar uma pessoa ao limite pode ter várias origens: fatores pessoais ou de personalidade, sociodemográficos, profissionais ou organizacionais.



4 visualizações
  • Black Facebook Icon